Express Ambulâncias

13/09/2021

Diverticulite: o que é, sintomas e tratamentos

Diverticulite: o que é, sintomas e tratamentos

Esse problema intestinal é evitável e tem cura, mas causa complicações se não tratar rápido.

Saiba como lidar com a diverticulite, mas antes vamos explicar do que se trata.

O que é diverticulite?

A diverticulite é uma alteração intestinal caracterizada pela inflamação e/ou infecção dos divertículos, que são pequenas pregas ou sacos presentes nas paredes do intestino, especialmente na última porção do cólon.

Os divertículos estão presentes, geralmente, em adultos com mais de 40 anos e é mais frequente em pessoas que possuem prisão de ventre crônica ou que possuem dieta pobre em fibras. Isso faz com que as fezes fiquem pouco hidratadas e retidas no intestino favorecendo o desenvolvimento dos divertículos e sua inflamação, que pode ser notada por meio de alguns sintomas como náuseas, vômitos e dor no abdômen, por exemplo.

É importante que a diverticulite aguda seja identificada e tratada de acordo com a orientação do gastroenterologista, pois assim é possível prevenir complicações como perfuração ou obstrução intestinal.

Principais sintomas

Na maioria dos casos a diverticulite aguda é assintomática, sendo apenas identificada através da realização de exames diagnósticos realizados para investigar alguma outra alteração intestinal. No entanto, algumas pessoas podem relatar sinais e sintomas pouco específicos como:

  • Dor abdominal, especialmente na parte inferior do lado esquerdo, que pode ser constante e persistir durante vários dias;
  • Períodos de diarreia ou de prisão de ventre;
  • Sensibilidade no lado esquerdo do abdômen;
  • Enjoo e vômitos;
  • Febre;
  • Calafrios;
  • Sangue nas fezes, em alguns casos;
  • Perda do apetite.

A intensidade dos sintomas varia de acordo com a gravidade da inflamação, que, se for leve, pode passar despercebida. Entretanto, na presença desses sintomas é importante consultar o gastroenterologista para que seja avaliada a necessidade de realizar exames de imagens como ultrassom ou tomografia do abdômen, e exames de sangue que detectam inflamação e infecção no intestino, para que seja então possível indicar o tratamento adequado para prevenir complicações.

Teste de sintomas

Para saber os riscos de ter diverticulite, alguns pontos devem ser considerados:

  1. Dor no lado esquerdo da barriga que não passa
  2. Enjoos e vômitos
  3. Barriga inchada
  4. Febre acima de 38º C com calafrios
  5. Perda de apetite
  6. Alternância de períodos de diarreia ou prisão de ventre

Causas de diverticulite

O aparecimento dos divertículos na porção final do cólon recebe o nome de diverticulose e quando esses divertículos encontram-se inflamados, é caracterizada a diverticulite. Essa inflamação pode acontecer como consequência do envelhecimento, de forma que há perda da elasticidade da musculatura do intestino, favorecendo que pequenos pedaços de fezes permaneçam no local e leve à inflamação do divertículo.

Além disso, outras situações que podem favorecer a inflamação dessas estruturas são dieta pobre em fibras e prisão de ventre crônica, isso leva à formação de fezes pouco hidratadas, o que aumenta a pressão no intestino e favorece a inflamação dos divertículos.

Devido à presença de pequenas porções de fezes, é possível também que haja o favorecimento de infecção local, o que também provoca o aparecimento dos sinais e sintomas da diverticulite aguda.

Tratamento

O tratamento para a diverticulite aguda deve ser orientado pelo gastroenterologista de acordo com a intensidade dos sintomas e causa da inflamação, podendo ser recomendado o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar os sintomas, e antibióticos, como Ciprofloxacino e Metronidazol, para tratar ou prevenir o desenvolvimento de infecções.

Além disso, o médico pode indicar cuidados com a alimentação, que nos primeiros 3 dias, deve ser líquida, e só depois ir adicionando gradualmente alimentos sólidos, para não aumentar a pressão dentro do intestino. À medida que a inflamação e os sintomas vão diminuindo, o paciente deve ir introduzindo nas suas refeições diárias alimentos ricos em fibras, como frutas e vegetais frescos ou cereais integrais, por exemplo, de forma a evitar que os divertículos inflamem novamente. Confira mais detalhes da alimentação para diverticulite aguda.

Quando a pessoa é capaz de seguir bem as orientações e quando o quadro está leve, este tratamento pode ser feito em casa, entretanto, no caso de diverticulite aguda complicada, é importante a internação para realização de medicamentos na veia e avaliação da possibilidade de cirurgia.

Para tratamento cirúrgico da inflamação, pode ser feita uma punção para drenagem do pus ou uma cirurgia para retirada da parte prejudicada do intestino. Veja mais detalhes sobre opções de tratamento e cirurgia para diverticulite.

Complicações

Quando a diverticulite não é tratada assim que surgem os primeiros sintomas ou quando o tratamento não é feito de acordo com a orientação do médico, é possível que surjam algumas complicações, como por exemplo:

  • Sangramentos, que podem ser intensos e ser notado através da presença de sangue vivo nas fezes;
  • Abscesso no local, o que pode causar bastante dor e aumenta o risco de desenvolvimento de infecções mais graves;
  • Formação de fístulas, que são comunicações do intestino com outros órgãos, que se originam devido a inflamação e formação de feridas nas paredes;
  • Perfuração do intestino, que é uma complicação grave da diverticulite e que causa intensa inflamação da região abdominal;
  • Obstrução intestinal, em que a inflamação impede a passagem de líquidos e fezes pelo intestino, o que provoca inchaço, cólicas abdominais e vômitos.

Assim, para evitar essas complicações é importante seguir as recomendações do médico para diminuir a inflamação e evitar as possíveis complicações e novas crises de diverticulite aguda.

Como evitar

Para prevenir a formação de divertículos no intestino grosso, ou impedir novas crises de diverticulite, é importante ter uma alimentação rica em fibras, pois elas estimulam o funcionamento e limpeza do intestino, e impedem que suas paredes fiquem enfraquecidas e se formem novas pregas.

Para um bom funcionamento do intestino, também é muito importante beber bastante líquidos ao longo do dia, sendo em média 2 litros de água, além de comer devagar e mastigar bem antes de engolir.

Assista, também, outras dicas da nutricionista para uma alimentação correta durante e após o tratamento da diverticulite, para prevenir novas crises e melhorar o funcionamento do intestino:

Curiu nosso conteúdo? Deixa um curtir, compartilhe e fique atendo no nosso canal para mais artigos sobre saúde e bem estar.

Tags: